segunda-feira, 24 de maio de 2010


PERFUME

O perfume que deixas
desenha no vento
um sentido único,
lúbrico,
que vem envolver-me
em espiral de abraço,
ritual de sedução,
e me ensina no espaço
o poder físico dos corpos
em atracção.