sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010


COMO UMA LÁGRIMA...


Como uma lágrima, nosso amor nasceu,

Trémulo, nos olhos, brilho e emoção,

Tímido, tacteando, nosso amor desceu,

Orvalhou de fresco o rubor da paixão.


Como uma lágrima, caindo, fluída,

Nosso amor tocou os lábios em desejo,

Molhou-os da sede no olhar nascida,

Fez-se toque breve, veludo e beijo.


Como uma lágrima, nosso amor molhou

Nossos corpos nus, em searas e sol

E ondulou vagas, suor e sentidos.


Como uma lágrima, nosso amor secou,

Restaram vestígios de sal no lençol,

Na alma a saudade de rios perdidos...