quinta-feira, 12 de novembro de 2009

BEIJO DO SILÊNCIO

Há gritos que me cercam,
Sitiantes,
Sinistros,
Fustigando ventos
Que se compadecem
Da minha pele salgada
Pela sede de chuva,
Pelo apetite do mel.
Cai-me um sol a pique
Nos lábios gretados
Por um sorriso posto
A cravos e espinhos
Na estilizada cruz
Que me sombreia os olhos
E me rasga as narinas
Em sopro asfixiante…
Ruídos ribombam,
Intrusos,
Obtusos,
Confundem-me os traços,
Aturdem-me os sonhos
De sempre perdidos,
De agora exigidos…

Beija-me, silêncio,
Que quero voltar
Ao útero
Da inocência…

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

JOGO DUPLO

Com o olhar nú e aceso,
enfeitiças-me os sentidos,
passas em mim só miragem,
eco só dos meus gemidos.

Torturas-me, em rito sábio,
ao sabor do teu desejo,
matas-me em sede, de sede,
por gosto a jogo e cortejo.

E quando a mesa se vira,
o trunfo é meu e o céu nosso
e o teu corpo é um abraço...

A boca em beijo delira,
saber dizer já não posso
que me fazes, que te faço...