sábado, 25 de julho de 2009

ALÉM-AMOR


Além-amor me achei e perdi contigo,
Em paixão nascida de dias ardentes,
Orvalhados a sal e suores trementes
E miragens breves de tão doce abrigo...

Além-mar em nós, aberto e longínquo,
Fui frágil batel, estremecido em vagas
De ir e voltar, descoberta e sagas,
Seara e colheita de verão profícuo...

Limbo e ninho era o oásis breve,
Onde o nosso amor se banhava a aromas,
Frutos proibidos, sãos e apetecidos!

Nimbo e vinho era o toque rubi leve
Dos beijos impressos que eram sintomas
De lautos sentidos de amor perdidos...

Achados que fomos, além-nós partidos...

Sem comentários:

Enviar um comentário