quinta-feira, 28 de maio de 2009

BRISAS DE LUZ

(Para iluminar as curvas do meu caminho, o amigo ZITO, enviou-me, na brisa, este Poema...)

Luz,
Apaga as sombras
Antes que o rio se lance ao mar.
As ondas quebram a espuma
Com o sabor da brancura
Do sonho, a acordar.
É já tempo de partir,
É tempo de ficar.
(Eu agradeço, devolvendo-lhe a brisa, lavada por seu cantar...)

Brisa,
Seca-me o pranto
Antes que o meu grito se lance ao mar!
As ondas espumam raivas
Que é urgente aplacar!
Brisa,
Lava-me o riso,
Antes que impuros respirares
Maculem o orvalho que bebo
Em sonhos que são néctares
Do teu amar!

Sem comentários:

Enviar um comentário